X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Covid-19: Para Rui, é preciso 'constrangimento social' para frear irresponsabilidade

Covid-19: Para Rui, é preciso

“Só há um jeito de conter atitudes como essa. É criar o constrangimento social”, afirmou.

Durante a  inauguração da Central Integrada de Comando e Controle da Saúde do Estado da Bahia, na manhã desta terça-feira (17), O governador Rui Costa criticou de forma dura a desinformação espalhada diante da crise causada pela pandemia de coronavírus e destacou a necessidade de frear ações irresponsáveis para conter a disseminação do vírus. “Só há um jeito de conter atitudes como essa. É criar o constrangimento social”, afirmou. 

Rui destacou o papel da imprensa para recolocar a verdade e vencer o “vírus da mentira” e da “irresponsabilidade”, citando o exemplo do empresário que testou positivo para o Covid-19, em Porto Seguro. “Essa pessoa participou da festa em Itacaré, acabou a festa ele pegou seu jatinho e foi pra São Paulo. No dia seguinte ou dois dias depois, foi fazer exame no Einstein, confirmou o resultado positivo, foi recomendado que ele ficasse em quarentena, mas ele pega o jatinho, convida casais de amigos e volta para a Bahia, para Trancoso e Porto Seguro. Chama oito pessoas para trabalhar na casa dele, para servir a ele e os amigos dele, e nós tivemos conhecimento porque uma das pessoas que estavam trabalhando ouviu ele já bebendo, com alto consumo de álcool, de forma irresponsável, falando que ele tinha confirmado”, lembrou o governador. “Ela ouviu e quando ele saiu da casa ligou para a Secretaria de Saúde denunciando que ele tinha largado a confirmação do exame, inclusive, em cima da mesa, de onde ela fotografou e enviou a imagem”, contou Rui Costa, classificando a atitude do empresário como “crime”.

Diante do ocorrido, o governador da Bahia informou ainda que determinou à Procuradoria Geral do Estado que entre com uma ação criminal e provoque o Ministério Público. “Isso é crime. Isso é colocar as pessoas em condição de risco”, enfatizou, relatando também outros detalhes sobre a abordagem do poder público no caso. “Quando a equipe de saúde chegou ele ficou fazendo deboche. Estava de sunga na praia com os amigos dizendo: ‘o que é que um banho de mar não resolve? Mata qualquer vírus’. Ou seja, ficou promovendo contato com outras pessoas, de forma criminosa, e só depois da agente de saúde ameaçar chamar a polícia para levá-lo preso foi que ele aceitou botar a máscara. Ela disse: ‘bote a máscara para eu falar com o senhor de máscara’. E ele ainda fazendo deboche”, contou, lembrando que após todo o ocorrido a esposa do homem passou mal e ele recorreu ao serviço de saúde local. “E ontem, depois da mulher estar passando mal, ele entrou em pânico e pediu atendimento da UPA de Porto Seguro. Na verdade, a mulher não positivou, mas deve estar passando mal pela pressão psicológica. Ela passou mal e ele foi para a UPA acompanhar a mulher”, explicou Rui Costa.

 

Com informações do site Bahia Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Artigos Relacionados