X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Mãe de Eliza Samudio diz que Bruno não mudou e neto a faz superar ódio

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
Mãe de Eliza Samudio diz que Bruno não mudou e neto a faz superar ódio
Modelo, Eliza Samudio foi morta por asfixia e esganadura no dia 10 de junho de 2010, data determinada por reconhecimento da Justiça. A modelo foi esquartejada e até hoje não teve o corpo encontrado. Bruno Fernandes, goleiro titular do Flamengo, foi condenado a 22 anos e três meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, sequestro e ocultação do cadáver. Atualmente, ele cumpre pena no regime semiaberto e tenta retomar a carreira como jogador de futebol.

Enquanto Bruninho corre, agitado, de um lado para outro da casa, Sônia de Fátima Moura, de 55 anos, tenta se concentrar na entrevista. "É que o Bruninho está na semana de provas." A preocupação constante com o desempenho e o carinho com o garoto justificam um dos motivos pelo qual ele a chama de mãe Soninha.

O outro, mais doloroso de ser lembrado, é que Bruninho perdeu a mãe com poucos meses de vida e foi encontrado pela polícia em uma favela de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Bruno Samudio é filho de Eliza Samudio e Bruno Fernandes. Distante do neto, ao fechar as portas do quarto para ter privacidade, Sônia se lembra da filha. “Na quarta-feira, já vai fazer 10 anos da morte dela.”

Modelo, Eliza Samudio foi morta por asfixia e esganadura no dia 10 de junho de 2010, data determinada por reconhecimento da Justiça. A modelo foi esquartejada e até hoje não teve o corpo encontrado. Bruno Fernandes, goleiro titular do Flamengo, foi condenado a 22 anos e três meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, sequestro e ocultação do cadáver. Atualmente, ele cumpre pena no regime semiaberto e tenta retomar a carreira como jogador de futebol.

Em maio de 2012, Sônia ganhou na Justiça a guarda definitiva de Bruninho e, desde então, não se desgrudam. “Gostamos de fazer uma caminhada juntos. Quero ver se mais para frente conseguimos pagar uma escola de natação para ele”, diz. A relação de confiança entre avó e neto faz com que Bruninho saiba praticamente todos os detalhes do caso que envolve os pais, ganhou repercussão há dez anos e até hoje causa polêmica. “Sempre converso com ele. Quando perguntam se ele é filho do Bruno ele responde: 'É meu pai de sangue', sem dar muito espaço para comentários.”

Aos 10 anos completados em fevereiro, Bruninho ostenta 1,54 metro de altura. A boca e o cabelo são de Eliza, segundo a avó. Mas os pés, o buraco no queixo e a altura são do pai. “Ele já está calçando 38”, diz Sônia, impressionada. A avó conta que o garoto costuma perguntar sobre a mãe. “Ele questiona por que o pai fez isso com ela", diz. "O ser humano é algo difícil de se explicar. Digo a ele: 'A princípio ele não queria ter você, não queria pagar pensão e até hoje não paga'", afirma Sônia.

Bruninho faz terapia desde os três anos, só interrompeu por conta da necessidade de isolamento social com a pandemia do coronavírus. Segundo a avó, a morte da mãe fez com que o garoto tivesse um “entendimento sobre a justiça” desde cedo. “Quando ele assiste ao noticiário e vê algum caso chamativo, logo fala: 'Não tem justiça no Brasil.'”

 

Com informações do site R7

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter