X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Na Semana do Clima, Rui perdeu uma boa oportunidade de não ficar calado

Na Semana do Clima, Rui perdeu uma boa oportunidade de não ficar calado

O chefe do Executivo baiano escolheu não se fazer presente e também não falou oficialmente sobre a ausência.

A Semana do Clima, realizada em Salvador durante toda essa semana, não foi considerada prioridade para o governo da Bahia. Não a ponto de não merecer sua presença, já que a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) e o Inema montaram pequenos stands no evento. A questão é simbólica. O governador Rui Costa preferiu priorizar outras agendas ao invés de acompanhar uma das mesas do encontro preparatório da Organização das Nações Unidas (ONU). O chefe do Executivo baiano escolheu não se fazer presente e também não falou oficialmente sobre a ausência.

Na última semana, Rui participou do I Fórum Internacional do Meio Ambiente e Economia Azul. O evento foi organizado pela Sema e lá o governador era anfitrião. Já a Semana do Clima da ONU acabou capitalizada politicamente pelo adversário do governador, o prefeito de Salvador, ACM Neto. O que até explicaria, mas não justifica a não ida do governador. Após a tentativa do governo federal de proibir a realização do evento no Brasil, coube ao gestor da capital baiana cobrar publicamente a anuência para que a Semana do Clima se mantivesse no país.

Com certo protagonismo, ACM Neto acabou se fazendo muito presente nas mesas. Participou da abertura, retornou nesta quarta-feira (21) acompanhando o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e deve voltar nesta quinta ao lado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Enquanto o prefeito surfa em mais uma onda positiva, o governador optou por fingir que Salvador não recebe um evento internacional para discutir uma pauta tão cara à sociedade, ainda mais neste momento.

Interessante é que Rui poderia ser um contraponto necessário à política ambiental do governo de Jair Bolsonaro, como adversário ferrenho do morador da Alvorada. No entanto, o silêncio funciona praticamente como um endosso. Se a Amazônia queima, as ONGs são responsáveis. Se o desmatamento aumentou, são os interesses internacionais que estão gerando notícias falsas contra Bolsonaro. Como não há autoridade pública na Semana do Clima para evidenciar o quão absurdas são essas declarações, Rui perdeu uma excelente oportunidade de ter uma pauta positiva a favor da preservação ambiental, da sustentabilidade e da questão climática.

Ah, mas ACM Neto poderia fazer isso. Poderia, mas não vai fazer. O prefeito de Salvador pode não ser um aliado de primeira hora do governo federal, mas tem uma política clara de não agressão. É uma questão de sobrevivência para o ambiente hostil após a prefeitura ficar muitos anos distanciada do Planalto pelo eterno conflito entre DEM e PT. Já Rui não possui essa amarra e dá sinais, nos bastidores, de que poderia partir para um embate direto com Bolsonaro.

Acabamos então desapontados. O governador sequer foi ao evento, que dirá fazer uma crítica mais dura à desastrada política ambiental defendida até aqui pelo presidente. É uma pena, pois se a Semana do Clima não é uma prioridade, a questão do meio ambiente deveria ser. Para todos.

 

Com informações do site Bahia Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Artigos Relacionados