X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Novo teste promete identificar coronavírus com mais segurança

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
Novo teste promete identificar coronavírus com mais segurança
O método, chamado de RT-LAMP (amplificação isotérmica mediada por loop de transcrição reversa, na sigla em inglês), para o SARS-CoV2, foi lançado recentemente pelo laboratório brasileiro Mendelics em parceria com o Hospital Sírio-Libanês.

Um novo tipo de teste para identificar o SARS-CoV2, coronavírus que causa a covid-19, pode ajudar a aumentar a capacidade de exames realizados no Brasil por ter uma coleta mais simples da amostra, além de garantir mais segurança aos profissionais da saúde.

O método, chamado de RT-LAMP (amplificação isotérmica mediada por loop de transcrição reversa, na sigla em inglês), para o SARS-CoV2, foi lançado recentemente pelo laboratório brasileiro Mendelics em parceria com o Hospital Sírio-Libanês.

Diferente do exame usado até então para detectar o vírus na fase aguda, o RT-PCR, que utiliza uma espécie de cotonete (swab) para retirar secreção da nasofaringe, o RT-LAMP possibilita a coleta da amostra por meio da saliva, depositada pelo próprio paciente em um tubo.

Segundo o laboratório, o resultado pode ser processado em apenas uma hora e, na fase de desenvolvimento, não foram identificados falsos positivos, o que indicaria uma especificidade de 100%. No entanto, isso ainda é passível de revisão.


Por não precisar de novos equipamentos, esse método poderia ampliar a capacidade de testagem de laboratórios públicos e privados. Isto porque a disponibilidade de kits, incluindo os swabs, são uma limitação logística para o aumento dos exames no Brasil.

Atualmente, o RT-PCR exige que um profissional de saúde faça a coleta, o que os expõe a maior risco diariamente, já que existe contato direto com o paciente.

A Mendelics afirma que o teste possui a maior capacidade de processamento em relação a outros em uso no país e tem um custo menor: cerca de R$ 95.

Neste momento, 50 mil exames deste tipo estão sendo realizados pelos desenvolvedores em um projeto piloto.

 

Com informações do site R7

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter