X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Porto Seguro: Prefeitura edita protocolo de reabertura de hotéis e restaurantes

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
Porto Seguro: Prefeitura edita protocolo de reabertura de hotéis e restaurantes
Nos dois primeiros meses, hoteis e pousadas só poderão ofertar leitos "single" ou "duplos". Os triplos ou quádruplos só poderão ser disponibilizados para pessoas da mesma família. As camas deverão estar devidamente afastadas a no mínimo 1,5 m. Todas as modalidades de hospedagem só estarão disponíveis para uso em outubro.

A prefeitura de Porto Seguro, no Sul do estado, publicou nesta terça-feira (23) um decreto que estipula um protocolo para a reabertura de empreendimentos hoteleiros, de turismo e do setor de alimentação no município. A medida passa a vigorar a partir do dia 15 de julho.

De acordo com o decreto, haverá um cronograma para a reabertura progressiva e escalonada dos negócios em um prazo de três meses e uma série de medidas preventivas contra a Covid-19. Assim, 50% dos empreendimentos vão reabrir no dia 15 de julho, 70% em 15 de agosto e 100% no dia 10 de outubro.

Nos dois primeiros meses, hoteis e pousadas só poderão ofertar leitos "single" ou "duplos". Os triplos ou quádruplos só poderão ser disponibilizados para pessoas da mesma família. As camas deverão estar devidamente afastadas a no mínimo 1,5 m. Todas as modalidades de hospedagem só estarão disponíveis para uso em outubro.

As áreas comuns dos empreendimentos hoteleiros a exemplo das piscinas poderão funcionar, mas obedecendo restrições quanto a formação de aglomerações. Os usuários destes espaços deverão utilizar equipamentos de proteção individual (EPIs).

Os passeios turísticos só poderão ser realizados com, no máximo, 20 pessoas, respeitando o uso de EPIs. Já os restaurantes só poderão reabrir com 50% da capacidade instalada e as praias ficam liberadas para banho e passeios desde que seja evitado aglomeração de pessoas e o uso de EPIs.

O descumprimento das medidas do decreto poderá ser punido com a suspensão das atividades ou até mesmo a suspensão do alvará de funcionamento.

 

Com informações do site Bahia Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter