X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Risco de derrame é 33% maior para quem tem um mau chefe

Risco de derrame é 33% maior para quem tem um mau chefe

Saiba como lidar com suas emoções no trabalho, visto que cerca de 30% dos trabalhadores brasileiros são afetados pela síndrome do esgotamento profissional.

O seu balde está cheio? Este é um livro escrito por Tom Raht e Donald O. Clifton. O livro cria paralelos com situações que já ocorreram e com aquelas que vivenciamos durante o dia, principalmente na vida profissional. Segundo os escritores e também pesquisadores, maus chefes podem aumentar o risco de derrame em 33%, porque o estresse eleva a pressão sanguínea podendo ocasionar o acidente vascular cerebral. 

Estamos acostumados diariamente a vivenciar experiências que nos colocam em contato com diversas emoções, principalmente, no ambiente de trabalho. Por isso, desenvolver a inteligência emocional para lidar com as adversidades tem sido fundamental, sendo inclusive, um dos pontos avaliados na hora da contratação.

Além disso, lidar com as emoções também pode ser fundamental para evitar o desgaste do profissional e o surgimento de transtornos psicológicos. Um exemplo disso é que, neste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) adicionou a Síndrome do Esgotamento Profissional, ou Burnout, na lista de Classificação Internacional de Doenças. 

Segundo a pesquisa “No limite”, da International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR), cerca de 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros já são afetados por isso

Lucas Mendes, é cofundador de uma plataforma de recrutamento digital (que ajuda pessoas a se realocarem no mercado de trabalho e dá dicas para administrar impulsos e sentimentos), fala que as nossas emoções dizem respeito às nossas vidas como um todo, mas quando se está no ambiente de trabalho, os efeitos que essas podem causar pode ser muito maior e ir para além de nós mesmos, por isso é fundamental saber administrá-las. 

Cinco dicas que podem ajudar os profissionais a conquistar o equilíbrio emocional no trabalho

1. Tenha clareza para lidar com as adversidades

Primeiro, olhe para dentro, faça autoreflexão e pense -se puder, escreva- no que está te incomodando, o que pode ser feito para melhorar e como seria esse processo. Isso vai te ajudar a ter uma visão mais ampla do real problema.

2. Lembre-se do autocuidado

Priorize a sua saúde física porque ela se reflete na emocional. Às vezes, o excesso de tensão e desânimo podem estar sendo causados por hábitos ruins, como noites mal dormidas. Tenha um sono de qualidade, inclua uma alimentação balanceada no seu dia a dia, pratique exercícios físicos e desfrute de momentos de lazer.

3. Invista na qualidade das relações interpessoais

Quando estamos em contato com a equipe e até mesmo com os gestores é importante levar em consideração as necessidades do outro além das nossas. Questionar “como posso te ajudar?”, pode colaborar nesse processo de entendimento e no desenvolvimento da empatia que é fundamental para o relacionamento.

4. Pense e respire antes da tomada de decisão

Assim como em todos os aspectos da vida, agir por impulso pode trazer impactos negativos ou distantes do resultado esperado. Saber gerenciar as emoções é fundamental para evitar isso, principalmente no ambiente de trabalho e se você ocupa uma posição que te coloca em situações de escolha a todo momento. Antes de agir, reflita sobre os resultados esperados e se isso está alinhado com os objetivos do time. Ouvir uma segunda opinião também pode ser importante para garantir que os desdobramentos possíveis foram analisados.

5. Evite ser tomado pelo estresse

Quando somos submetidos a altas doses de pressão, muitas vezes funcionamos quase que como uma panela de pressão prestes a explodir. No entanto, no ambiente profissional, ultrapassar esse limite pode ser prejudicial para as relações de equipe e também para a forma como somos avaliados. Por isso, invista em válvulas de escape, como sair para respirar ou ir beber uma água, antes de externalizar as emoções. Além disso, estar equilibrado mentalmente pode te trazer uma postura mais confiante e produtiva, além claro, de contribuir para a flexibilidade para lidar com as situações inesperadas.

Síndrome de Burnout

O livro pode ser relacionado com a Síndrome de Burnout. Você já ouviu falar? Segundo o Ministério da Saúde a condição é um estado físico, emocional e mental de exaustão extrema, resultado do acúmulo excessivo em situações de trabalho que são emocionalmente exigentes ou estressantes, que demandam muita competitividade ou responsabilidade, especialmente nas áreas de educação e saúde.

Profissões de risco

A doença também é conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional, tem como principal causa o excesso de trabalho. Esta síndrome é comum em profissionais que atuam diariamente sob pressão e com responsabilidades constantes como médicos, enfermeiros, professores, policiais, jornalistas, dentre outros. Traduzindo do inglês, "burn" quer dizer queima e "out" exterior. 

 

Com informações do site Folha Vitória

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Artigos Relacionados